...O Senhor Deus tomou o homem e o colocou no Jardim do Éden (no Paraíso!) para o cultivar e guardar. Deu-lhe este preceito: "Podes comer do fruto de todas as árvores do jardim; mas não comas do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dele comeres, morrerás indubitavelmente"...

Ao vivo Ecorádio Oficina Geral & EcoBrasil

Get the Flash Player to see this player.

quinta-feira, 4 de março de 2010

E por falar em luxúria...

.

.

"Sou um menino que vê o amor pelo buraco da fechadura. Nunca fui outra coisa. Nasci menino, hei de morrer menino. E o buraco da fechadura é, realmente, a minha ótica de ficcionista. Sou (e sempre fui) um anjo pornográfico(desde menino)".
Nelson Rodrigues
Daremos início aqui, a série "E por falar em luxúria...", na qual traremos os ditos "pais da matéria". Grandes ícones da história e da arte que retrataram como ninguém a sociedade "nua" e "crua".

E pra começar (dispensando comentários) o "anjo pornográfico" Nelson Rodrigues...

Teatrólogo brasileiro nascido em Recife, PE, considerado criador de uma obra revolucionária, um divisor de águas para o teatro brasileiro. Ainda muito jovem, iniciou-se no jornalismo, em A Manhã e A Crítica, jornais sensacionalistas de seu pai, Mário Rodrigues. Uma tragédia familiar, o assassínio, na redação de A Crítica, de seu irmão Roberto, e a tuberculose, deixariam para sempre marcas em sua personalidade e sua obra. Estreou a primeira de suas peças, A mulher sem pecado (1942), escrita no ano anterior, e alcançou fama (1943) com a montagem de Vestido de noiva, por Zbigniew Ziembinski, quando passou a ser considerado pela crítica o fundador do moderno teatro brasileiro.

Outras de suas peças foram Álbum de família (1946), Anjo negro (1947), Senhora dos afogados (1947), Dorotéia (1949), Valsa nº 6 (1951), A falecida (1953), Perdoa-me por me traíres (1957), Viúva, porém honesta (1957), Os sete gatinhos (1958), Boca de ouro (1959), Beijo no asfalto (1960), Bonitinha, mas ordinária (1962), Toda nudez será castigada (1965), Anti-Nelson Rodrigues (1973) e A serpente (1978), muitas delas transformadas em películas cinematográficas e especiais para a televisão.

Além da obra para teatro, escreveu nove romances, entre eles Meu destino é pecar (1944) e O casamento (1966), a maioria com o pseudônimo de Suzana Flag. Infatigável, manteve em Última Hora uma coluna diária, A vida como ela é.... Torcedor apaixonado pelo Fluminense, escreveu também crônicas sobre futebol até sua morte no Rio de Janeiro, onde criou o personagem Sobrenatural de Almeida, para justificar lances e acontecimentos inexplicáveis.


Produções:

Teatro:

Peças psicológicas

    * A mulher sem pecado
    * Vestido de noiva
    * Valsa nº 6
Peça:  Valsa nº 6
    * Viúva, porém honesta
    * Anti-Nélson Rodrigues

Peças míticas

    * Álbum de família
    * Anjo negro
    * Senhora dos Afogados
    * Doroteia´

Tragédias Cariocas I

    * A falecida
    * Perdoa-me por me traíres
    * Os sete gatinhos
    * Boca de ouro

Tragédias Cariocas II

    * O beijo no asfalto
    * Bonitinha, mas ordinária ou Otto Lara Rezende
    * Toda Nudez Será Castigada
    * A serpente

Romances

    * Meu destino é pecar - 1944
    * Escravas do amor - 1944
    * Minha vida - 1944
    * Núpcias de fogo - 1948
    * A mulher que amou demais - 1949
    * O homem proibido - 1959

    * A mentira - 1953
    * Asfalto selvagem - 1959 (também conhecido como Engraçadinha)
    * O casamento - 1966

Contos

    * Cem contos escolhidos - A vida como ela é... - 1972
    * Elas gostam de apanhar - 1974
    * A vida como ela é — O homem fiel e outros contos - 1992
    * A dama do lotação e outros contos e crônicas - 1992
    * A coroa de orquídeas - 1992

Crônicas

    * Memórias de Nélson Rodrigues - 1967
    * O óbvio ululante: primeiras confissões - 1968
    * A cabra vadia - 1970
    * O reacionário: memórias e confissões - 1977
    * Fla-Flu...e as multidões despertaram - 1987
    * O remador de Ben-Hur - 1992
    * A cabra vadia - Novas confissões - 1992
    * A pátria sem chuteiras - Novas Crônicas de Futebol - 1992
    * A menina sem estrela - memórias - 1992
    * À sombra das chuteiras imortais - Crônicas de Futebol - 1992
    * A mulher do próximo - 1992
    * Nélson Rodrigues, o Profeta Tricolor - 2002
    * O Berro impresso nas Manchetes - 2007

Telenovelas

Baseadas na obra de Nélson Rodrigues

    * A morta no espelho - TV Rio - 1963
    * Sonho de amor - TV Rio - 1964
    * O desconhecido - TV Rio - 1964
    * O homem proibido - TV Globo - 1982
    * Meu Destino É Pecar - TV Globo - 1984
    * Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados - TV Globo - 1995
    * A Vida Como Ela É - TV Globo - 1996


Filmes

    Baseados na obra de Nélson Rodrigues

    * Somos dois - 1950 - Direção: Milton Rodrigues
    * Meu destino é pecar - 1952 - Direção: Manuel Pelufo
    * Mulheres e milhões - 1961 - Direção: Jorge Ileli
    * Boca de ouro - 1963 - Direção: Nelson Pereira dos Santos
    * Meu nome é Pelé - 1963 - Direção: Carlos Hugo Christensen
    * Bonitinha mas ordinária - 1963 - Direção: J.P. de Carvalho
    * Asfalto selvagem - 1964 - Direção: J.B. Tanko
    * A falecida - 1965 - Direção: Leon Hirzman
    * O beijo - 1966 - Direção: Flávio Tambellini
    * Engraçadinha depois dos trinta - 1966 - Direção: J.B. Tanko
    * Toda nudez será castigada - 1973 - Direção: Arnaldo Jabor
    * O casamento - 1975 - Direção: Arnaldo Jabor
    * A dama do lotação - 1978 - Direção: Neville d'Almeida
    * Os sete gatinhos - 1980 - Direção: Neville d'Almeida
    * O beijo no asfalto - 1980 - Direção: Bruno Barreto
    * Bonitinha mas Ordinária ou Otto Lara Rezende - 1981 - Direção: Braz Chediak
    * Álbum de família - 1981 - Direção: Braz Chediak
    * Engraçadinha - 1981 - Direção: Haroldo Marinho Barbosa
    * Perdoa-me por me traíres - 1983 - Direção: Braz Chediak
    * Boca de ouro - 1990 - Direção: Walter Avancini
    * Vestido de noiva - 2006 - Direção de Joffre Rodrigues

Fonte: wikipedia

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sociable