...O Senhor Deus tomou o homem e o colocou no Jardim do Éden (no Paraíso!) para o cultivar e guardar. Deu-lhe este preceito: "Podes comer do fruto de todas as árvores do jardim; mas não comas do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dele comeres, morrerás indubitavelmente"...

Ao vivo Ecorádio Oficina Geral & EcoBrasil

Get the Flash Player to see this player.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Cuidado com os forasteiros!


Vai de retro satanas!!


Irmãos, não ia me pronunciar sobre política por aqui, mas tem umas coisas incoerentes que acontecem neste TO que só POR AQUI MESMO!



Alguém pode me explicar  o que esse tal de Maurício Rabello anda fazendo como candidato aqui pelo TO? O pior não é isso! Teve uns idiotas que votaram no cara em eleições passadas! Pelo amor de Deus! O cara não é do Tocantins, não tem biografia nenhuma por aqui! Mas o povinho sem juízo votou nele! E que me desculpem as mulheres, mas eita bichinho fácil de manejar! Ouvi muitas mulheres (algumas até com nível superior) dizendo que votariam nele porque ele era bonitão! kkkkkkkk! Se não fosse trágico seria uma piada! 

Onde é que o povo está com a cabeça? Depois ficam com raiva quando são ridicularizados na mídia! Mas as mulheres tiveram sua recompensa. Ele lançou um projeto de lei que Instituiu o ano de 2006 como o " Ano da Mulher". Não entendi muito bem essa proposta. Então quer dizer que as mulheres só tiveram direito a homenagens nacionais em 2006? Mas já não existe para elas um dia internacional? É muito criativo o Deputado... Enquanto isso muitas mulheres do TO vivem em condições sub-humanas com atendimento de saúde precário e sem renda para sustentar suas famílias.

 
Dá uma olhada nesta matéria publicada no site Direito 2 em 23 de outubro de 2006 sobre o forasteiro pra avivar sua memória:



Acusação:

O deputado Maurício Rabelo (PL-TO) é acusado pelo empresário Luiz Antônio Vedoin de fazer acordo para receber uma comissão de 10% do valor de suas emendas que fossem executadas por meio do esquema das sanguessugas.

Luiz Antônio disse que, em 2004, Maurício Rabelo recebeu cerca de R$ 40 mil em espécie. O dinheiro teria sido entregue a ele em seu gabinete na Câmara.

O empresário disse ainda que, por volta de outubro de 2005, pagou pessoalmente ao deputado mais de R$ 20 mil, em espécie. Em dezembro do mesmo ano, outros R$ 20 mil teriam sido pagos por intermédio do assessor parlamentar Luiz Martins. O empresário Ronildo Medeiros, outro acusado de participar do esquema, afirmou que os pagamentos de R$ 20 mil foram um adiantamento para a apresentação de emendas para o exercício de 2006.

  
Defesa:

Na defesa apresentada ao Conselho de Ética, Maurício Rabelo afirma ter sido vítima de perseguição política no caso da "máfia das sanguessugas". Ele nega ter feito acordos para obter vantagens indevidas. Nega ainda que tenha participado de fraudes em licitações. Rabelo disse que apenas conheceu Luiz Antônio Vedoin nas dependências do Congresso, quando o empresário realizava uma exposição de seus produtos.

Rabelo afirmou que os Vedoin tentaram manter contato com seu gabinete, remetendo a ele cobrança de dívida. A tentativa, segundo o parlamentar, foi rechaçada, e ele notificou os empresários, por meio de cartório, de que não manteria contato com eles e que denunciaria o fato.

Sobre o "adiantamento" a que se referem os acusadores, o deputado disse que "não há nem sequer um recibo de depósito, como não há também nenhuma prova documental para sustentar as acusações". "É irracional que alguém possa fechar um acordo de R$ 80 mil e fazer um 'adiantamento' sem assegurar que seria vitorioso no processo licitatório", afirmou.

Maurício Rabelo disse ainda que jamais teve um funcionário chamado Luiz Martins.
 


AGURDEM!  Vanderlei Luxemburgo vem aí!!






quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Piromania



Piromania, para a Psiquiatria, consiste no desejo mórbido e incontrolável de provocar incêndios ou de atear fogo às coisas, também conhecida com "Síndrome de Naoali."

A piromania é definida como o comportamento repetitivo de atear fogo de forma proposital e intencional. É um transtorno pouco conhecido e há até mesmo quem questione se de fato é um transtorno mental. Para se realizar esse diagnóstico é necessário que outros como esquizofrenia, mania bipolar, personalidade anti-social devem estar excluídos. O número de atos incendiários não é importante, basta um para se fazer o diagnóstico, desde que preencha os critérios.



Assim como na cleptomania e na tricotilomania, o indivíduo com piromania experimenta uma forte excitação nos momentos que antecedem o ato de incendiar um objeto, demonstra uma fascinação pelo fogo, curiosidade e atração pelas circunstâncias relacionadas ao fogo. Para realizar esse diagnóstico devem ser descartados outros motivos de incêndio como motivações monetárias, político-ideológicas, expressão de raiva. Ao contrário a motivação deve ser prazer e busca de gratificação

Quem será esse doido filho de uma mãe que ateia fogo todo ano no mundo?

Ah! Se eu pego esse fidáputa!!

Sociable