...O Senhor Deus tomou o homem e o colocou no Jardim do Éden (no Paraíso!) para o cultivar e guardar. Deu-lhe este preceito: "Podes comer do fruto de todas as árvores do jardim; mas não comas do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dele comeres, morrerás indubitavelmente"...

Ao vivo Ecorádio Oficina Geral & EcoBrasil

Get the Flash Player to see this player.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Projeto "Brasil Clássico Caipira"


.
.

 A música caipira vem rodando pelo Brasil com o show Brasil Clássico Caipira. Nomes consagrados da música de raiz brasileira como: Genésio Tocantins, Dércio Marques e As Galvão apresentam clássicos da moda caipira como “Beijinho Doce”, “Chico Mineiro”, “Chalana”, entre outras, acompanhados de orquestra. Sob a regência do maestro Joaquim França, os músicos interpretam o repertório de música caipira com arranjo erudito, executados por um quinteto de cordas, além de piano, violão e percussão.

Maestro Rildo Hora

Brasil Clássico Caipira, com direção musical do maestro Rildo Hora – que também participa da apresentação –, tem como objetivo resgatar a música de raiz e comemorar os 80 anos do primeiro disco de moda caipira gravado no País. O ator Antônio Grassi é o apresentador do espetáculo que, pelo CCBB Itinerante, já passou pelas cidades de São Luís, Porto Alegre e Vitória.

Pena Branca

Pena Branca também participou do início do projeto
Pena Branca e Xavantinho formaram uma das mais marcantes duplas caipiras da história. Seu primeiro compacto, Saudade, foi gravado em 1970, quando adotaram definitivamente o nome artístico. Durante a década de 70, os irmãos se apresentaram em shows, inicialmente ao lado de Tonico e Tinoco, e mais tarde como atração principal. O LP Cio da Terra, lançado em 1987, teve a participação de Milton Nascimento, promovendo a mistura de estilos musicais. Em 1992 gravaram, com Renato Teixeira, o CD Ao Vivo Em Tatuí, conquistando o primeiro Disco de Ouro. A dupla ganhou cinco prêmios Sharp ao longo de sua trajetória.

Dércio Marques

Dércio Marques
Violeiro e cantador mineiro, ele lançou seu primeiro disco em 1977, com o título de Terra, vento, caminho. Em 1979, veio o disco Canto forte-Coro da Primavera, com a participação do Oswaldinho do Acordeom e da Orquestra de Violeiros de Osasco, que tocou a toada brejeira Natureza, de Dino Franco. Como produtor lançou a cantora Diana Pequeno e o violeiro Elomar. No ano de 1996, foi indicado para o prêmio Sharp de melhor disco infantil com Monjolear, gravado em Uberlândia (MG), com 240 crianças.

Genésio Tocantins

Genésio Tocantins
Seu primeiro LP, "Rela bucho", foi lançado pela RGE em 1988. No ano seguinte ganhou com este disco o II Prêmio Sharp de Música, onde recebeu o Troféu Ano Dorival Caymmi na categoria Revelação da Música Regional Brasileira. Gravou com diversos artistas como Fagner, Pena Branca e Xavantinho, Rolando Boldrin, entre outros. Entre seus parceiros estão Juraíldes da Cruz, Braguinha Barroso, Wanda d`Almeida, Hamilton Carneiro, João Gomes, Beirão, Salgado Maranhão e Telma Tavares. Em 1990, recebeu o prêmio Fiat. Lançou em 1996, o CD U cantante", pelo selo Mercantante. Dois anos depois, lançou pelo selo Brasis o CD "Brasis - As canções e o povo".

Em 2000, foi classificado para as eliminatórias do Festival da Música Brasileira, promovido pela TV Globo, onde concorreu com sua composição em parceria com Beirão, "Baião internauta". Nesse ano, participou do Festival Novos Talentos defendendo a música "Nóis é jeca mas é jóis", de sua autoria e Juraildes da Cruz que se tornou um clássico da música regional. Em abril de 2006, participou do Projeto Pixinguinha, em caravana que passou por Cachoeiro de Itapemirim (ES), Campinas (SP), Tubarão (SC) e Guaratinguetá (SP), junto com a cantora paulista Cris Aflalo, o piauiense Gilvan Santos e a Banda de Pífanos de Caruaru.
 As Galvão

As Galvão
Ainda meninas aprenderam a cantar, ouvindo os pais cantando em dueto os sucessos da Rádio Nacional do Rio de Janeiro. Com 7 e 5 anos de idade, as Irmãs Galvão já estavam encantando radialistas do interior do estado de São Paulo e, pouco tempo depois, de todo o País. O primeiro disco foi lançado quando elas tinham 14 e 12 anos. Com mais 300 músicas gravadas, conhecidas e respeitadas no Brasil inteiro, o sucesso da dupla ultrapassa fronteiras: suas músicas são tocadas em Portugal, no Canadá e na Suíça. Músicas como No Calor dos Teus Abraços, Pedacinhos, Coração Laçador, Menino Canoeiro, Lembrança e Beijinho Doce são alguns dos sucessos que renderam os prêmios Sharp, Caras de Música e indicação ao Grammy Latino.

Prometo que é a última do Salão do Livro...
Fiquei sabendo à boca miúda que Genésio encaminhou este projeto para o 6º Salão do Livro e o mesmo fora reprovado! Uma lástima! Afinal poderíamos desmacarar os falsários do "Sertanejo Universitário", mostrando a eles o que é Música Sertaneja de verdade!

Enquanto isso, Rosa de Saron ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sociable