...O Senhor Deus tomou o homem e o colocou no Jardim do Éden (no Paraíso!) para o cultivar e guardar. Deu-lhe este preceito: "Podes comer do fruto de todas as árvores do jardim; mas não comas do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dele comeres, morrerás indubitavelmente"...

Ao vivo Ecorádio Oficina Geral & EcoBrasil

Get the Flash Player to see this player.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

TEM MAIS CINEMA NO ÉDEN!!

 Por Fernando Rios: Acadêmico de comuncação Social na UFT


A Diretoria Municipal de Cultura de Paraíso, exibirá o filme "O MISTÉRIO DO GLOBO OCULAR", do diretor tocantinense Wherbert Araújo. O filme, vencedor tocantinense do 4º Doc tv, retrata o curioso caso de pessoas que tem a visão afetada após tomarem banho de rio na cidade de Araguatins.
Então é Isso! "O mistério do Globo Ocular", dia 19/11, as 19:30 no Teatro Cora Coralina em Paraíso. E a entrada é Franca!







Um pouco mais sobre: 

Por: Camilo - Orientador de Projetos de assentamento do INCRA-TO, Bacharel em Direito pela UNESP, Especialista em Extensão Rural e Agricultura Familiar; Pai da Camila e LUTADOR!!!


O mistério do globo ocular" que conta a história de uma doença ainda não conhecida que afetou a população ribeirinha da pequena cidade de Araguatins, extremo norte do estado do Tocantins, nos anos de 2005 a 2007, onde mais de 280 pessoas tiveram sua visão prejudicada e quase uma dezena perdeu toda a visão de um dos olhos após banharem-se nas águas do imponente Rio Araguaia.
O que mais me chamou a atenção do doc não foi o aparecimento da doença em si, mas outras duas questões:


1- o descaso dos governos municipal, estadual e federal com os atingidos pela doença já que a única coisa feita foi encaminhar as vítimas à UFMG para retirarem um dos olhos ou fazerem exames sem qualquer resultado;











2- o nível de poluição que o rio Araguaia alcançou em sua margem direita, no cais de Araguatins, uma somatória do esgoto residencial que é despejado no rio (enquanto uma estação de tratamento de esgoto jaz inacabada no local depois de consumir mais de 3 milhões de reais), dos agrotóxicos e produtos utilizados numa cultura de eucalipto entre outros fatores.

Quatro frases durante o doc. que me deixaram indignado:

1- do prefeito da cidade que disse que a doença misteriosa "só afeta os mais pobres, já que os ricos que se banham no mesmo local não ficam doentes!!!
Sugiro que mergulhemos este idiota no Araguaia até o olho dele ficar "fervilhando" (sintoma do estágio inicial da doença narrado pelas vítimas);

2- do diretor do documentário antes do início da exibição: "blá blá blá . . . espero que vocês tenham uma ótima diversão!!!"
Talvez para ele seja divertido já que embolsou R$ 110.000 por seu doc ter sido o primeiro colocado na quarta edição do doc TV, mas garanto que aqueles que tiveram suas vidas tolhidas pela doença do globo ocular não tem motivos para sorrir.








3- do médico da cidade: "Não houve cegueira total, o que houve foi perda parcial da visão já que as vítimas só tiveram a visão de um dos olhos perdida".
Por falar em olho, deu vontade de mandar o cara tomar bem no meio do dele!!!

4- de uma mãe contando sobre seu desespero de ver suas 03 filhas com a doença:" a gente passou de tudo nos oío delas pra ver se salvava: leite do peito, mel, chá e a até cabeça de mosca!! . . . a gente matava a mosca, arrancava a cabeça e esfregava nos oío das minina porque o povo ensinou que era baum."









Um documentário que vale a pena ser visto em virtude do seu poder de provocar indignação pelo abandono em que se encontra a população da cidade. Por mostrar-nos imagens do cotidiano das pessoas no norte do estado do Tocantins e a miséria que reina em suas vidas. E por evidenciar que a poluição não é mais um problema de rios como o Tietê e Pinheiros na cidade de São Paulo. 


Conheça:


Um comentário:

  1. Por isso que gosto das mídias alternativas. Isso não passa em nenhum telejornal. Gostaria muito de poder assitir a esse documentário. É uma denúncia seríssima.Abraço, amigo. Paz e bem.

    ResponderExcluir

Sociable